FUNAI "atrapalhou o Brasil absurdamente", afirma Deputado Federal Mato-Grossense; veja vídeo

O índio tem que ser respeitado.

Em 08/07/2019 10:37:00 na sessão Cidades

O Deputado Federal Nelson Ned Previdente  conversou sobre FUNAI e questões ambientais. 

AN: Como a FUNAI e questões ambientais estão sendo discutidas dentro do congresso? 

Nelson Barbudo: Essa questão é complicada. Foram trinta anos de ONG"s e palpiteiros estrangeiros, juntos com a esquerda brasileira, com um governo que não gosta de trabalhar, ele não gosta de capitalista, ele não gosta de latifundiário, então eles criaram centenas de milhares de lei. Por exemplo: Como pode ter lógica a FUNAI barrar uma rodovia?   

O índio tem que ser respeitado. Ninguém está aqui para falar que tem que atropelar índio. Negativo. Agora, os índios também tem que ceder ao homem branco, ao homem capitalista e faz bem pro índio. 

O presidente da FUNAI não estava trabalhando de acordo com nossa ideologia, ele foi exonerado. Só que ficaram leis. Então muitas vezes, o índio tem até a boa vontade, veja o meu projeto de lei: Eu fiz um Projeto de Lei para que o estado autorizasse o índio a plantar, veja bem. Nós estamos com 100 etnias querendo plantar e não pode por que  não tem lei que autoriza.

Eu sou autor do Projeto de Lei que autoriza, que vai agora para a comissão de justiça, autorizando a plantar, a explorar minério, o índio explorar cachoeira, índio explorar turismo desde que ele queira.  O meu projeto de lei é assim: o índio quer plantar? Planta! "Não, nós não queremos, nós queremos ser uma etnia que queremos conservar a tradição" Conserva! Não é obrigatório o meu projeto de lei. Então, a FUNAI, vou falar o português claro, atrapalhou esse Brasil absurdamente. MAs no governo Jair Bolsonaro nós vamos desburocratizar a FUNAI com responsabilidade. 

O Brasil só utiliza 7% do seu território para agricultura. Países da Europa utilizaram 70%, 80% portanto não venham querer amarrar o Brasil. Nós vamos libertar o Brasil das amarras, para nos tornarmos um dos melhores países do mundo. 

AN: Antes da eleição você possuia contato com o Presidente. Depois que ele assumiu o cargo, como está essa situação: você possui contato direto com o presidente?

Nelson Barbudo: Com certeza! Eu só não sou aquele tipo, vamos falar o português claro, pulga. Eu não fico ligando, eu não fico enchendo a paciência, mas todas as vezes eu tenho o telefone do presidente, toda demanda seria ele tem me atendido. Eu já viajei duas ou tres vezes no avião presidencial. Fomos recentemente agora a Barra do Garças, Ribeirão Preto, enfim, o meu relacionamento, eu respeito ele muito e ele me respeita muito, e com certeza nossa amizade vai durar enquanto existir política no Brasil e no Mato Grosso

Fonte: Agência da Notícia



Por Olhar Cidade 08/07/2019 10:37:00

Mais notícias da sessão: Cidades